Cerca Elétrica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cerca Elétrica

Mensagem  Admin em Dom Abr 07, 2013 3:24 pm

Para a instalação de uma cerca eletrificada são necessários alguns componentes que podem ser visualizados na figura abaixo, onde temos a representação de uma instalação típica:


O Eletrificador

É o principal componente para uma instalação de cerca eletrificada, tem como função converter a energia que o está alimentando em energia elétrica pulsada de tal forma que, ao tocar o fio da cerca, o animal ou ser humano receba uma descarga (choque) que não lhe fará mal.

A cerca nunca deve ser ligada diretamente à rede elétrica da propriedade, sem o eletrificador de cercas, o choque poderá ser fatal.

Por este motivo, o eletrificador deve ser de qualidade comprovada, fabricada dentro das normas de segurança internacionais. Não se deve utilizar equipamentos de fabricação caseira ou improvisados.

A escolha do modelo de aparelho a ser utilizado é função das fontes de energia e do comprimento do fio(arame) a ser eletrificado. Os aparelhos convencionais são fabricados para extensões de 5 a 20 Km, porém isto depende muito da condutividade do solo.

A ligação dos aparelhos à fonte de energia é muito simples:

Modelos de rede elétrica: Em tomada convencional ;

Modelos de Bateria: 2 Jacarés, um vermelho (positivo) e outro preto (negativo) ;

Modelo Híbrido: dois cabos, um com tomada e outro com os jacarés, neste modelo, o equipamento carrega a bateria quando conectado à rede elétrica.

A ligação do pólo "Cerca" deve ser feita diretamente ao fio da cerca. É necessário que a energia elétrica feche um circuito saindo do aparelho, percorrendo a cerca, passando pelo animal, indo ao solo e voltando ao eletrificador através do pólo "terra".

Um bom "aterramento" é, portanto, de vital importância para o perfeito funcionamento da cerca eletrificada.

Fontes de Energia

Os eletrificadores de cerca existentes no mercado são alimentados por diferentes fontes de energia como: pilhas, bateria automotiva de 6 volts, bateria automotiva de 12 volts, conjunto bateria + painel solar, rede elétrica (110 ou 220 volts), combinação rede elétrica e bateria.

Antes de se comprar um eletrificador para cerca, deve-se considerar uma série de fatores, como: a disponibilidade de fontes de energia no local, existência de pIanos de eletrificação rural, a extensão e o número de fios a eletrificar, a freqüência de falta de energIa no local.

A pilha é uma fonte de energia pouco usada em razão de sua curta duração e Conseqüente alto custo.

A bateria de 6 volts também é pouco utilizada, pois não tem sido mais instalada nos veículos.

Já a bateria de 12 volts é a fonte portátil mais utilizada. Para recarregá-la basta completar o nível de água mensalmente e substitui-la com a bateria de um veiculo da propriedade. O consumo de energia nesse caso é de O,35kWh por mês.

O painel solar, fabricado com células fotovoltaicas, tem como função carregar e manter carregada a bateria de 6 ou 12 volts. ~ um processo caro, porém em determinados casos é a melhor solução. Com a fabricação dessas células no Brasil e com o avanço da tecnologia, esses painéis deverão ter seu custo reduzido, o que os tornará muito indicados para o uso no meio rural.

A rede elétrica (110 ou 220 volts) é sem dúvida a fonte mais barata de energia. Os aparelhos modernos têm um consumo desprezível de 2,1 kWh por mês. Esses modelos são para 110 ou 220 volts com chave interna que permite uma mudança da tensão de alimentação. Antes de ligar o aparelho, deve-se assegurar que a posição da chave corresponde a tensão disponível.

Existe hoje no mercado um modelo de eletrificador de cerca denominado híbrido. Esse aparelho funciona tanto com energia elétrica como com bateria de 12 volts.

Os aparelhos fabricados com tecnologia moderna têm um dispositivo eletrônico interno que faz a mudança da rede elétrica para a bateria, automaticamente, quando há falta de energia na rede. Além disso, o dispositivo mantém a bateria sempre carregada sendo necessário verificar somente o nível de água destilada periodicamente.



Arames e Fios Flexíveis

Nas cercas eletrificadas pode-se usar qualquer arame condutor, como, por exemplo, o liso, o farpado etc. Em termos de condutibilidade elétrica esses arames são suficientes.

Na construção de uma nova cerca, definitiva, recomenda-se o uso do arame liso galvanizado n.0 14, existem arames especiais para cerca elétrica que possuem em sua composição uma maior quantidade de Zinco, conferindo uma menor resistência elétrica ao arame. Ao eletrificar ou rejuvenescer uma cerca já existente, recomenda-se remover um dos arames e recolocá-lo com isoladores para o lado de dentro.

A tensão do arame de uma cerca eletrificada pode ser inferior à usada nas cercas convencionais, pois a contenção dos animais ocorre de forma moral e não física.

Para uso em rotação de pastagens e em piquetes provisórios, recomenda-se o fio flexível, que é um cordonete de polietileno trançado com fios de cobre. Esse fio permite maior facilidade na instalação e na remoção da cerca, principalmente quando seu suporte for a vara de fibra de vidro. As vantagens do fio flexível são: facilidade de manuseio ao enrolar e desenrolar, boa condutibilidade e baixo peso. A única desvantagem é a longevidade à ação do sol sobre o polietileno.

As emendas devem ser feitas usando-se uma quantidade generosa de arame de forma a garantir bom contato. No caso do fio flexível, deve-se fazer um nó volumoso, tipo focinho de porco.

O tamanho dos animais é que determina o posicionamento dos fios na cerca.

A regra básica é colocá-los à altura do peito do animal. Como referência temos:

Animais Nº de fios Alturas recomendadas

Bovinos/Bubalinos/Eqüinos 1 80cm

Bovinos/Bubalinos/Eqüinos com cria 2 80 e 45 cm

Porcos adultos 1 50 cm

Porcos com leitegadas 2 50 e 30 cm

Ovinos 2 65 e 40 cm


Isoladores

Perdas de tensão elétrica por curto circuito diminuem a eficiência da cerca. O isolamento dos fios, portanto, é de fundamental importância para o seu perfeito funcionamento.

São dois os tipos de isoladores utilizados para esse fim: as roldanas e as castanhas.

As roldanas são usadas sempre que o arame passa em linha reta pelo isolador, e as castanhas são usadas nos cantos e nos extremos de um lance de cerca.




Fig. 1a - Isolador tipo Roldana



Fig. 1b - Isolador tipo Castanha

É recomendável usar isoladores de porcelana, pois estes são praticamente eternos; os de plástico comum se alteram quimicamente com as intempéries, e com o passar do tempo sofrem microfissuras, absorvendo umidade e tornando-se pontos de fuga de corrente.

As roldanas de porcelana exigem cuidado na colocação; aconselha-se, portanto, o uso de arruelas de náilon para amortecer as batidas do martelo.

Esticadores - Estacas

A cerca eletrificada contém os animais moralmente e não fisicamente, daí podemos utilizar uma quantidade muito menor de mourões (também lascas, estacas,etc.), esses tendo a única função de sustentar o arame suspenso; podem ser, portanto, em dimensões muito inferiores aos habitualmente utilizados nas cercas de arame farpado ou liso.

Os esticadores são colocados à distância de até 100m, se o terreno possibilitar. As estacas ou lascas intermediárias, a distância de 4 a 6 metros quando a contenção for de animais de pequeno porte, e de 6 a 10m quando os animais forem de grande porte.



Fig1.- Esticadores estacas


Os esticadores habitualmente utilizados são de eucalipto tratado com até 10cm de diâmetro, e as estacas ou lascas podem ser de cano, perfis de ferro, bambu ou do próprio eucalipto tratado. Caso haja irregularidade no terreno, para se evitar que os animais passem por baixo ou por cima da cerca, conforme fig 2.



Fig2. Cercas construídas em terrenos irregulares.

O arame da cerca deve estar preso aos esticadores e às lascas através de isoladores, para que não ocorra fuga de corrente.

Para a instalação de cercas móveis, as varas de fibra de vidro e fio flexível são as mais indicadas.

As varas de fibra de vidro têm como principais vantagens: seu baixo peso (80 gramas), dispensam o uso de isoladores, sua fácil colocação (existe inclusive no mercado um batedor que permite a colocão das varas em segundos), em poucos minutos pode-se fazer um piquete provisório ou isolar-se uma plantação.

A sua única desvantagem ainda é o custo. Devido à sua praticidade, no entanto, recomenda-se ter na propriedade algumas varas para os mais diferentes usos.

Uma alternativa a essas varas são as barras de cano PVC marrom, facilmente encontradas no mercado.

Porteiras

Existem diversas formas para se fazer porteiras com a cerca eletrificada, observando-se, aqui, uma grande economia em relação às porteiras convencionais.

Há um dispositivo no no mercado também chamado de "porteira para cerca eletrificada" que consiste em um punho isolante com uma mola interna, um gancho em uma extremidade e uma argola em outra.



Fig1. Porteira simples

Exemplificamos a seguir diversos esquemas de montagem de porteiras, analisando suas vantagens e desvantagens.

A porteira simples (fig1.) apresenta desvantagem quando é aberta. Um setor à esquerda fica desligado, e, se colocada no chão, a porteira causará fuga de energia para a terra.

A porteira ideal (fig.2) apresenta várias vantagens em sua utilização. Quando aberta, o restante da cerca permanece ligado. Pode-se colocar a porteira aberta no chão, pois o seu lado esquerdo não está eletricamente ligado à cerca e, portanto. não haverá fugas e sua localização visual é fácil. A altura dessa porteira deve ter no mínimo 3m.



Fig.2 Porteira Ideal

Há um cuidado que deve ser tomado ao se esticar o arame ao longo do suporte da porteira, evitando-se que fique em contato com a madeira, o que provocaria a fuga de corrente.

A porteira com dois arames é idêntica à anterior, porém utilizada para cercas com dois fios de arame (Fig.3).



Fig.3- Porteira de dois arames

Na passagem subterrânea o fio que passa por baixo do solo deve ser muito bem isolado, o que restringe a utilização dessa porteira.

Se não houver outra alternativa, utilizar para a passagem subterrânea um cabo isolado para 10.000 volts do tipo usado em bobinas de automóvel , dentro de uma tubulação de PVC rígido, com as pontas viradas para baixo para se evitar a entrada de água.



Fig4. Passagem subterrânea.

A "porteira eletrificada" pode ser usada como chave inversora, permitindo desligar o aparelho da cerca e ligar a cerca à terra, quando as condiç5es meteorológicas nos indicam perigo de raio, ou quando se quer fazer algum reparo.

Os animais, ficando condicionados ao choque da cerca, evitam chegar próximos a ela. Portanto não haverá problemas em desligar a cerca por curtos períodos para a execução de pequenos reparos.

Normas de segurança internacionais recomendam o uso de placas indicativas (advertência) do uso de cerca eletrificada (Fig 5.), da seguinte forma:

a) as placas devem ser amarelas com o texto em preto, contendo um raio (símbolo de alta tensão) e os dizeres CERCA ELÉTRICA, com altura mínima das letras de 2,5cm. A dimensão mínima da placa é de 10 x 20cm.

b) recomenda-se a colocação dessas placas a cada 100 metros; nas áreas com maior transito a cada 50 metros, ou de tal forma que ao menos uma placa esteja sempre visível.



Fig 5 - Exemplo de placa de advertência

Conexão Terra

Para um perfeito funcionamento da instalação é fundamental que seja feita uma boa conexão ao terra. Isso é feito enterrando-se s uma profundidade de aproximadamente de 1 m, uma boa massa metálica, como, por exemplo, um cano, um tambor velho, uma chapa velha, ou ainda, uma ferramenta agrícola que não estiver sendo utilizada.

Como é necessário ter uma boa condutividade do "terra", deve-se escolher para ele um lugar úmido (ou que possa ser freqüentemente umedecido), garantindo ainda uma boa conexão entre a massa metálica e o aparelho; para isso utiliza-se um fio de cobre grosso, fixando-o à massa metálica através de parafuso e arruelas (fig 1).



Fig 1 - Exemplo de fixação do fio de cobre à massa metálica.

Em regiões áridas ou áreas cimentadas, deve-se melhorar a eficiência do aterramento. para isso pode-se correr um arame ligado ao polo terra ao longo de toda a cerca, e a cada 500 metros bater um cano ou (haste) e ligá-lo ao fio terra. Essa arame deve ser preso às estacas e mourões sem isoladores. Para melhorar a eficiência do "terra, pode-se ainda fincar 3 hastes espaçadas no mínimo 2 m entre si, o que contorna a baixa condutibilidade do solo.



Fig.2 - Hastes para melhorar a eficiência do "terra".

Após a instalação, deve-se testar a eficiência do "terra". A 100m de distância do cano ou haste, faz-se um contato da cerca eletrificada com o solo, usando 4 a 5 fios ou estacas de ferro e fechando-se desse modo o circuito.

Com uma das mãos segura-se a extremidade do cano ou haste "terra", e com a outra mão pressiona-se o solo. Caso exista a sensação de "formigamento" ou mesmo um leve choque, torna-se necessário instalar mais uma haste, enterrando-a a dois metros de distância da primeira (fig.3). O teste deve ser repetido até que nenhuma sensação ocorra, comprovando-se assim a eficiência do "terra".




Fig 3 - Teste de eficiência do "terra".

Precauções Contra Raios

As cercas convencionais de arame liso ou farpado tendem a atrair raios e é comum que animais que se encontram a até 3 ou 4 metros de distancia morram devido à descarga.

Quando se usa a cerca eletrificada esse risco é diminuída, pois a massa metálica é menor em razão da menor quantidade de arame utilizado. Quando a cerca eletrificada é atingida por raio, o aparelho pode ficar danificado.

Não existe propriamente uma forma de se eliminar o risco da "queima" do aparelho, porém, pode-se reduzido consideravelmente de 3 maneiras:

a) Usando pára-raios: o risco é quase eliminado, porém a um custo muito alto, pois há' necessidade de se instalar diversos equipamentos longo da cerca.

b) Utilizando o fio flexível: como um fusível deixando-se aproximadamente 5 metros deste entre o aparelho eletrificador e o inicio da cerca propriamente




Fig 1 - Cerca Eletrificada, com fio flexível.


c) Faiscador de descarga: é um dispositivo simples que pode absorver grande parte da energia de um raio que eventualmente venha cair sobre a cerca. A distância entre os eletrodos deve ser calibrada para que, mesmo em dias de chuva, somente haja faísca se colocarmos uma chave de fenda entre suas pontas, sem troca-las. Caso um raio atinja a cerca, a energia resultante produzirá essa faísca, que acabará se descarregando, parcialmente, à terra. Recomenda-se a colocação de um Faiscador de Descarga próximo ao aparelho eletrificador e outros a cada 2 km de cerca.



Fig 2- Dispositivo de descarga de raios.





Admin
Admin

Mensagens : 285
Reputação : 0
Data de inscrição : 02/02/2013
Idade : 58
Localização : S.Paulo - BR

Ver perfil do usuário http://hereditarios.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum