Como corromper um menor de "forma saudável"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Como corromper um menor de "forma saudável"

Mensagem  Admin em Sab Out 05, 2013 10:19 pm

Crianças no altar do deus Sexo

Escrito por Camila Hochmüller Abadie


Para os que acham que a situação não pode piorar, afirmo: falta-lhes criatividade.


No ano de 2010, a OMS (Organização Mundial de Saúde), juntamente com o governo alemão, elaborou uma cartilha de educação sexual infantil que já se encontra espalhada pela Europa. "Coisa leve": com indicações para crianças... RECÉM-NASCIDAS!!! em diante, até os quinze anos.

Para os que acham que exagero, vejam a página 53 da Standarts for Sexuality Education in Europe e leiam algumas das informações a serem transmitidas para a faixa etária de zero a quatro anos:



"el goce y el placer cuando tocamos nuestro propio cuerpo: la masturbación de la primera infancia; el descubrimiento del propio cuerpo y de los genitales; el hecho de que el placer físico es una experiencia propia (cercana) y normal de vida; la ternura y la cercanía física (contacto) como una expresión del amor y el afecto."

"O gozo e  o prazer quando tocamos nosso próprio corpo: masturbação na primeira infância, a descoberta do corpo e os órgãos genitais, o fato de que o prazer físico é uma experiência em si (fechada) e da vida normal. A ternura e proximidade física (contato) como uma expressão de amor e carinho. "


Não é de admirar que somente agora, três anos após a elaboração e chancela da União Européia, o povo do Velho Continente esteja percebendo o que está acontecendo, afinal as ideologias revolucionárias, que possuem o domínio do linguajar politicamente correto e estabeleceram o monopolólio da virtude, há décadas transformaram a Europa em seu parque de diversões. Assim, não por acaso, os europeus, e talvez somente alguns poucos deles, deram-se conta, um pouco tarde demais, sobre o fato de as organizações internacionais [OMS, ONU, UNESCO (Criança Esperança?) ...] quererem, literalmente, ferrar com as crianças.

Atualmente, uma das iniciativas adotadas pelas famílias européias que não aceitam as "sugestões" da OMS em prol do "desenvolvimento sexual" de suas crianças é uma petição virtual que solicita o recolhimento de tal material e a não intervenção governamental nestes assuntos.

Não se enganem: o lixo europeu em breve chegará por aqui (a cartilha recomenda sua disseminação mundial). E não serão poucos os que aceitarão tais discursos e práticas, dando vazão, sob a asquerosa aparência de benefício à saúde, de abordagem "positiva e holística" da questão, às mais sombrias e devastadoras violências contra as crianças.

Cliquem aqui, vejam e assinem a petição. Na mesma página vocês encontrarão um link, ao final, para download da cartilha, aos que tiverem estômago forte.



Camila Hochmüller Abadie é mãe, esposa e mestre em filosofia. Edita o blog
Encontrando Alegria



É o chamado sexo padrões de Educação na Europa e é um guia para governos, desenvolvido pela Organização Europeia da Organização Mundial de Saúde (OMS), em conjunto com a agência do governo alemão para a Educação em Saúde.

O documento começou a vir para os Ministérios da Educação e Saúde na Europa, e é indistinguível de um compêndio de corrupção de menores, inspirado, porém, pelos dogmas da ideologia de gênero.

Entre as habilidades específicas que o guia recomenda transmitir às crianças 0-16 anos, estes são alguns exemplos citados na íntegra do documento:

De 0 a 4 anos , que prescreveu aprendizagem "gozo e prazer quando tocamos o próprio corpo:. a masturbação da primeira infância"

De 0 a 4 anos , a idade é o ideal para "a descoberta do corpo e os órgãos genitais."
Em 4 anos , a OMS diz que nossos filhos são capazes de "necessidades expressas, desejos e limites, por exemplo, no contexto de brincar de médico".

De 4 a 6 anos , nossas crianças precisam saber que a história da cegonha como a mãe pássaro é um mito.
De 4 a 6 anos é uma ótima idade, segundo a Organização Mundial de Saúde, para "falar sobre assuntos sexuais," explorar "relações do mesmo sexo" e "consolidar a identidade de gênero."

De 6 a 9 anos , os especialistas da OMS dizem que os nossos filhos estão preparados para aprender e defender os "direitos sexuais das crianças".

De 9 a 12 , e até 15, deve saber o incômodo da maternidade inesperada. Digo isso parafrasear:  "o impacto da maternidade e gravidez entre adolescentes (ou seja, pais, planejamento familiar, planejamento de vida / estudos, a contracepção, a tomada de decisão e os cuidados no caso de gravidezes indesejadas "Repare-se  o que dizem que antes de 15, nossos filhos estão prontos para ser clientes da indústria do aborto.

De 9 a  15 , é bom para receber informações sobre métodos contraceptivos onde encontrar e onde obter um aborto.
De 9 a 15 , é uma idade-chave, e, de acordo com a OMS, a ensinar que a religião cristã é um obstáculo ao prazer e gozo de seus próprios corpos ", a influência da idade, sexo, religião e cultura "na educação afetivo-sexual.
Os 15 anos é hora de "abrir-se para outros (admitir a homossexualidade, bissexualidade e outras opções)."
O 15 é também a idade do saber, além disso, "sexo comercial (prostituição, mas o sexo em troca de pequenos presentes, refeições / noites fora ou pequenas quantidades de dinheiro), a pornografia, o vício em sexo".


Tão eloqüente quanto os conteúdos específicos da guia de sexo padrões de Educação na Europa, desenvolvido pela OMS, são os princípios:

O princípio de que os pais são uma "fonte informal" da educação, em relação ao estado como "fonte formal", "científica" e FETEN.

O princípio de que a educação emocional e sexual das crianças deve ser planejada "sensibilidade de gênero" europeu. Ou seja, a natureza, os fatos, os dados, a responsabilidade dos pais ... tudo se submeter aos dogmas da "sensibilidade de gênero".

O princípio de que a educação afetivo-sexual "começa no nascimento".

O princípio de que a educação afetivo-sexual "deve ter uma abordagem holística." Tudo é sexo, para a OMS.

O princípio de que a educação afetivo-sexual serve o "indivíduo e fortalecimento da comunidade." Tudo é política, para a OMS.

O princípio de que os ensinamentos do que é "científica" e "neutro" e que os pais precisam ensiná-lo à prova.

O guia tem 83 páginas e as palavras "amor" e "responsabilidade" não são, ou, se o fizerem, seu peso e significado é completamente irrelevante. Nunca fale sobre essas coisas.
Em vez disso, o guia fala constantemente de "prazer" , "bem-estar pessoal" e "instintos" .

A Organização Mundial de Saúde é uma agência das Nações Unidas.

Com a orientação de Normas Educação Sexual na Europa , a agência tenta definir princípios e conteúdos básicos que os Estados devem ser desenvolvidas para educar sobre o carinho e sexo crianças europeias, de acordo com os preconceitos e preceitos da ideologia da gênero.

É um documento de enorme influência, a ser dirigida aos ministros da Saúde e da Educação na Europa, ou nenhum documento ignora os pais, responsáveis ​​pela educação de nossos filhos.



Requer a diretora do Organismo Europeu da Organização Mundial da Saúde, a Zsuzsanna Jakab, a imediata retirada da guia de sexo padrões de Educação na Europa


avatar
Admin
Admin

Mensagens : 288
Reputação : 0
Data de inscrição : 02/02/2013
Idade : 59
Localização : S.Paulo - BR

Ver perfil do usuário http://hereditarios.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum